segunda-feira, 4 de abril de 2011

A MAGIA DO PROCESSO


Mais do que perguntar-me o porquê deste livro e deste tema, tenho reflectido sobre o processo que me levou a escrevê-lo. Acredito (não porque li nos livros, mas porque vivi), que as nossas relações amorosas são o “ adubo-mestre” que o nosso "solo", fértil à transformação e condenado à liberdade, necessita para se desenvolver e individualizar. Esta proposta existencial de aprendermos a ser UM na presença do outro, sem confundir identidades, só é possível através da experiência e das dinâmicas (nem sempre fáceis) a que a vida nos submete. Como alquimistas somos convidados a transformar o nosso pesado " chumbo" interior ( que por defesa pensamos ser), em " ouro" reluzente ( que ao perdermos o medo, na nossa essência somos).

No fundo a vida é um livro que escrevemos desde que aqui chegamos.

Numa primeira fase como precisamos, depois com consciência, como realmente queremos. Este livro é um processo.

Um processo onde antes de mais temos de aprender a deixar ir. Aprender que não há palavras que sejam nossas, como também não pode haver pessoas que o sejam.

Aprender que é importante continuar o caminho, apesar de tantas vezes nos faltar a inspiração e sermos bafejados por um medo cortante de nos sentirmos incapazes perante as ideias que o papel nos convida a escrever.

Aprender a sermos autênticos, apesar de estarmos formatados e "instruídos" para sermos “perfeitos”.

Aprender que jamais escreveríamos um livro com uma só palavra e questionar porque tantas vezes vivemos uma vida inteira focados numa só relação.

Aprender que a escrita pode libertar, mas que isso só acontece quando nela nos revelamos e com ela optamos por crescer.

Aprender acima de TUDO que quando pensamos que o livro chegou ao FIM, curiosamente ele apenas acabou de NASCER.

Aqui ENTRE NÓS, a vida é simples. São apenas escolhas num processo constante de crescimento e de transformação.


Um abraço a todos e a cada UM

Com Amor

Cristina Leal

Sem comentários:

Publicar um comentário