segunda-feira, 24 de março de 2014

ESPERANÇA

Ontem a minha tarde foi a ver alguns filmes que há muito queria ver.
Um deles foi o da vida de Nelson Mandela.
Por conhecer a sua história desde o inicio do filme que sabia que ele iria ser libertado. Curioso observar o que a esperança faz connosco.
Mais curioso observar o que a esperança fez com ele.
Por mais duras que sejam as provações, por mais difíceis que sejam os caminhos,  manter a esperança de que a Vida só nos dá aquilo que realmente podemos suportar pode ser balsâmico e muito apaziguador.
Inevitavelmente lembrei-me de tempos duros da minha vida, onde após tantas perdas a perdi também. Desses tempos recordo a sensação entranhada de que nada valia a pena, nem mesmo eu. Recordo o emaranhado de mentiras que durante meses me mantiveram refém da não-aceitação do que se estava a passar e do afastamento da essência da Vida que pulsava escondida dentro de mim.
Ainda hoje não sei o que aconteceu realmente para me reencontrar de novo com ela, para resgatar a confiança na Vida e a fé profunda em algo que cada vez mais toma conta de mim.

Sei apenas que o reencontro foi surgindo, através dum silêncio transformador a que entreguei. Aos poucos as vozes do meu ego ferido reclamavam por algo que a minha Alma sabia não ser para mim. Devagarinho foram perdendo força, foram perdendo voz e numa espécie de milagre a ESPERANÇA - voz de Deus como gosto de lhe chamar-  regressava timidamente, sussurrando-me ao ouvido que a sua presença era eterna em mim, bastando para isso aceitar que tudo está certo, mesmo que pareça não estar. 

Sem comentários:

Publicar um comentário