segunda-feira, 17 de novembro de 2014

QUAL O SENTIDO DESTA VIAGEM?


O que quer que a Vida represente para cada um de nós, uma coisa é certa, todos buscamos nela um sentido.
Eterna viagem da nossa Alma, que não precisando de respostas, nos faz caminhar em busca delas, questionando-nos a cada inspiração, qual o verdadeiro sentido desta viagem. 
Caminhamos léguas sem fim.
De experiência em experiência vamos aprendendo quem somos.
Entre resistências, desapegos, alegrias e tristezas, o véu vai-se dissipando repondo a verdade que parecemos ter esquecido no momento que aqui chegámos.
Entre ilusões e desilusões, perdas e ganhos, o tempo vai esculpindo em nós a essência do que essencial, levando-nos a perceber a profundidade das coisas mais simples da Vida. 
Até lá, buscamos sentido existencial nos “objectivos” que acreditamos nos trarão felicidade. Tiramos o curso, casamos, temos filhos. Fazemo-lo inclusive por ordem cronológica, até ao dia que surge no nosso âmago, a assustadora e tímida questão – qual o sentido desta viagem?
Embrulhada nela, outras duas surgem também - Quem Sou Eu? De onde venho afinal e para onde vou?
Nesta altura desejaríamos ter uma resposta rápida, palpável, racional e que não desse grande trabalho a resolver :-)   
Como assim não é, percebemos a nossa impotência perante o tempo dos homens, tantas vezes contraditório ao tempo cósmico que nos rege. Queremos respostas e apenas nos surgem mais perguntas.
Qual o sentido para esta viagem? – Tímida esta voz interna vai ampliando o seu som, sempre que contrariamos quem somos e o que vimos dotados para fazer.  
Devagarinho a Vida vai-nos sussurrando que OBJECTIVOS não são PROPÓSITOS e que se ambos não acasalarem dentro de nós, perderemos o sentido da nossa viagem e caminharemos confusos, perdidos e vazios de ímpeto de Vida.
Na verdade, a magia talvez não seja encontrarmos "propósito", mas sim permitirmos ser por ele encontrados.
Isso acontece, sempre que escutamos o nosso âmago e ousamos fazer o que realmente queremos fazer, deixando de representar papeis e sendo realmente QUEM SOMOS.
O sentido desta viagem está na busca e no processo que ousarmos fazer.
Está nas vezes que pensamos ter “errado”, quando na verdade apenas nos preparámos para ajustar o que ainda não está de acordo com aquilo que a Vida quer para nós. 
Está na interpretação que temos da nossa “realidade”.
Está nas derrotas porque passamos e nas vitórias do que vamos conquistando.
Está em SER, nunca em TER.
Está na simplicidade do caminho e na descoberta da nossa "humana-complexidade" enquanto caminhantes.

Está na coragem de deixar para trás os sapatos velhos, o caminho já trilhado e na ousadia de descalço ir em busca de novos caminhos  que nos aproximem cada vez mais do verdadeiro sentido da nossa viagem!   

Sem comentários:

Publicar um comentário