domingo, 26 de julho de 2015

PARA TI MINHA DOCE AVÓ

Avó querida,
Tu melhor que ninguém sabes como sou.
Nunca me contentei com nada, a não ser que esse nada significasse tudo para mim. 
Talvez pelo ‘tudo’ que sempre fomos na Vida uma da outra, contentei-me pois contigo.
Este mútuo contentamento, inspirava-nos a cada minuto.
A nossa cumplicidade nunca foi segredo para ninguém, nem mesmo para nós.
Recordo a leveza das nossas longas conversas, onde abertamente falávamos sobre o dia em que partirias, o que pela Lei da Vida (como tu própria afirmavas) seria de ‘certeza’ antes de mim :-)   
Apesar de sentir uma especie de antecipação da dor, dizia-te que para mim, só existe uma resposta para a morte - a Vida que quem parte deixa em nós.
Naquela altura parecia ser a minha cabeça a dizê-lo. 
Faltava-me a experiência.
Hoje sei dessa verdade na epiderme do meu coração.
Que ilusão é esta da partida, Avozinha?
Quem amamos não parte nunca.
Amar é ficar, mesmo quando o físico se transforma em pó.
Só o nosso apego nos faz tropeçar. 
Só o nosso apego nos seca e disseca, nos contradiz e impõe.
Nos engana, dizendo que morrer é desaparecer, quando é tão-somente estar  incapacitado para ver, tocar, cheirar,  neste confortável-desconforto do nosso plano físico onde tudo nos parece seguro e real.
Mas…há tanto mundo para além deste.
Tantas vidas para viver.
Tantas vidas para morrer.
Tantas vidas até aprendermos que a Vida é eterna.
Tantas vidas até aprendermos que por sermos a própria Vida, somos eternos também.
E, apesar desta minha condição humana, me empurrar para sentir a tua falta, a verdade é que sinto SEMPRE a tua PRESENÇA.
Estás VIVA em mim, Avó.
E hoje, dia em que se celebra o ‘Dia dos Avós’, quero dizer-te mais uma vez… Obrigada mulher sábia, pela sabedoria que comigo sempre partilhaste, pelo Amor que me ensinaste a expressar aos outros e pelo perdão que me mostraste ser tão acessível dentro de mim. 
Não sei onde estás e isso também não importa.
Pois onde quer que estejas, a verdade é que ESTÁS AQUI.
Abraço-Te com Amor e carinho profundo
Até já minha doce Avó! :-)  


Sem comentários:

Enviar um comentário