quarta-feira, 16 de setembro de 2015

ALMA QUE ÉS, NÃO TE APOQUENTES...

Tu não és o que vês por fora, 
mas sim o que aos poucos vais descobrindo dentro.
Não és uma imagem reflectida no teu espelho diário, 
mas sim o reflexo de todas as tuas vivências, perdas, ganhos, ilusões e desilusões.
Alma que és, não te apoquentes, 
pois a dignidade do teu corpo não reside na ausência das tuas rugas, 
mas sim na compreensão do caminho que tiveste de percorrer até a elas chegares.

Sem comentários:

Enviar um comentário