quarta-feira, 7 de setembro de 2016

SÓ O DESSASSOSSEGO, NOS PODERÁ SOSSEGAR.

Aparentemente todos nascemos sossegados.
Mas a verdade é que ao longo do nosso caminho, vamos sendo desassossegados por crenças, inverdades, ilusões e tantas outras provocações com que a vida nos presenteia para que nos possamos cumprir.   

Desassossegada que sempre fui, quando releio este livro sossega-me saber que há outros desassossegados por aí. 

Sossega-me saber que o desassossego é parte integrante dos seus caminhos, e que mesmo ‘entalados’ de vez em quando, ousam viver… desassossegados.  

Talvez pelos imensos desassossegos a que me dediquei, qual doce mãe dedicada à sua cria, hoje sossega-me saber que mesmo no meio deles se pode encontrar a paz.   
Desassossegam-me dores e perdas profundas, é verdade.
Mas até agora foram elas que me permitiram sossegar interiores estados gritantes, resultado das deambulantes mentiras que contei a mim própria sempre que perdida arfava e fugia em simultâneo do meu propósito e sentido para a vida.

Sossega-me portanto, sentir o dedo de Deus por cima do meu, quando me permito com Ele escrever a minha história, aceitando todos os capítulos deste livro - mesmo aqueles que o meu ego preferia não ver escritos, mas que sei a minha Alma jamais deles abdicaria.  

Sossega-me sentir nos poros a eternidade das coisas simples da vida, talvez porque um dia foram as supérfluas e temporais que mais me desassossegaram, esvaziando-me de sentido e amplitude.   
Sossega-me o silêncio que reside nos mais profundos recantos da minha essência, outrora desassossegados pelo intenso ruído da distância de mim mesma.

Sossegam-me as conquistas do caminho trilhado, da lógica caída, da intuição acordada.

Sossega-me perceber que o meu pequeno coração, se torna grande sempre que aceita amar sem “mas” nem “ses”.

Sossega-me saber que a vida na sua inconstância, pode ser um “sossegado-desassossego”, especialmente quando percebemos que quem nunca se desassossegou jamais sossegará e que, aconteça o que acontecer na realidade…nada acontece.

Sem comentários:

Publicar um comentário